[ editar artigo]

1ª Infância: veja curiosidades e dicas sobre essa importante fase infantil

1ª Infância: veja curiosidades e dicas sobre essa importante fase infantil

A primeira infância é a etapa da vida dos pequenos que compreende as idades de 0 a 6 anos – e não é à toa que ela é considerada como a mais importante fase do desenvolvimento infantil. Afinal, nesse curto período, as crianças chegam ao mundo e se deparam com um universo repleto de novidades e experiências e, basicamente, aprendem boa parte das habilidades que permitirão a elas se tornar adultos felizes e equilibrados. Pena que a primeira infância passe tão depressa... Pois nós da Alô Bebê reunimos alguns dos principais marcos dessa etapa, assim como dicas de como você pode ajudar e estimular o desenvolvimento do seu pequeno. Confira:

De 0 a 1 ano

É durante os primeiros 6 meses que os bebês desenvolvem diferentes tipos de choro para comunicar sensações de desconforto, fome, dor etc., e é nessa fase que os pequeninos começam a vocalizar alguns sons e a praticá-los quando estão sozinhos. Também é normal que eles se assustem com ruídos altos ou inesperados, que comecem a reconhecer as pessoas de seu convívio diário, a buscar quem está falando, a reconhecer o próprio nome e inclusive a identificar algumas palavras mais familiares, como “papai”, “mamãe” e “nenê”. 

LEIA MAISMuito além dos pais: qual a influência do resto da família no desenvolvimento da criança?

Nos primeiros 6 meses, os bebês também começam sorrir, rir, manter contato visual com as pessoas do seu dia a dia e responder com sorrisos ou barulhinhos, como se quisessem “conversar” – à sua maneira – com os adultos. Depois, até completarem 1 aninho, os bebês passam a combinar diferentes sons e a formar sílabas, a imitar sons e a tentar repetir o que ouvem, e é nessa etapa que podem surgir as primeiras palavrinhas de verdade.

Até completarem 1 ano, as crianças também aprendem a se comunicar com gestos – balançando a cabecinha para sinalizar “sim” ou “não”, a dar “tchau” e bater palminhas –, a ter mais controle para pegar e segurar objetos, a buscar com o olhar coisas familiares e a compreender questões simples, como “onde está o papai?” e “cadê a mamãe?”. Os pequenos nessa fase também começam a compreender comandos como “não pode” e “pare com isso”, e a brincar de forma mais interativa com outras pessoas, em vez de preferirem brincar sozinhos.

Um baita salto no desenvolvimento em apenas 1 ano, certo? Portanto, é importante que os pais estimulem os pequenos conversando bastante, cantando musiquinhas, oferecendo brinquedos com texturas, cores, tamanhos, formatos e que façam barulhos diferentes, para que as crianças explorem seus sentidos. Também é importante que os pequenos tenham contato com o mundo exterior e com outras pessoas e crianças.

De 1 a 2 anos

Entre 1 ano e os 18 meses, as crianças desenvolvem mais as suas habilidades motoras e geralmente começam a se mover de forma mais independente e a se tornar mais seguras na hora de perambular pelo ambiente, pegar objetos e empilhar brinquedos, por exemplo. Nessa etapa, os pequenos também começam a aprimorar suas habilidades de fala e contam com um vocabulário de 5 a 10 palavras. É a partir dessa fase que as crianças combinam sons e gestos para se comunicar, imitam palavras simples ou ações que elas observam e são capazes de obedecer a ordens simples.

Os pequenos até os 18 meses mostram interesse por imagens e desenhos que vêm em álbuns, revistas e livros, conseguem identificar algumas partes do corpo e são capazes de compreender um vocabulário de mais ou menos 50 palavras. Então, depois dos 18 meses, as crianças começam a identificar pessoas e objetos familiares em fotos, a reconhecer o próprio nome, a responder a perguntas de “sim” e “não”, geralmente através de gestos, a apontar e pedir por objetos pelos quais têm interesse, e passam a interagir mais e a se comunicar melhor.

Como nessa etapa os pequenos se divertem explorando o ambiente, os pais podem estimulá-los por meio de muitas brincadeiras e expondo as crianças a novos lugares, pessoas, cheiros e cores por meio de passeios. E como os bebês são verdadeiras “esponjinhas” e aprendem muito rápido, outra forma de motivá-los é através de leituras, manipulação de materiais com muitas ilustrações e fotos, contato com diferentes estilos musicais e até pedindo que os pequenos ajudem com pequenas tarefas – como guardar os brinquedinhos ou levar a fralda suja ao lixo.

LEIA MAISAjude o desenvolvimento do seu bebê brincando!

Também é interessante que as crianças participem de brincadeiras com outros pequenos, que elas sejam expostas a vários ambientes, e que se distraiam com brinquedos de diferentes texturas, cores e formatos. E é bacana criar atividades nas quais os pequenos possam participar com os adultos, como, por exemplo, incluí-los na hora de fazer comida ou, ainda, estimular o uso da imaginação por meio da construção de brinquedos com sucata ou caixas de papelão.

De 3 a 4 anos

Entre 3 e 4 anos, as crianças já têm um vocabulário de aproximadamente 900 a 1,5 mil palavras, embora elas possam ter um pouquinho de dificuldade em pronunciar algumas delas. Mas, ainda assim, os pequenos nessas idades normalmente formam sentenças de 3 a 4 palavras, e boa parte do que eles dizem pode ser facilmente compreendido por pessoas do seu convívio – os estranhos podem sentir alguma dificuldade. Nessa etapa, as crianças conseguem compreender e executar ordens mais complexas, assim como responder perguntas compostas por “quem”, “o que” e “onde”, e manter conversas simples e curtas.

Nessas idades, os pequenos também começam a falar sobre eventos passados dos quais se recordam e a usar muito a imaginação. Então, é normal que eles contem historinhas e até inventem as suas próprias a partir de suas experiências, se divirtam brincando de “faz-de-conta” e de viver personagens, e que curtam fazer isso na companhia de outras crianças. Ainda sobre esta etapa, os pequenos começam a demonstrar capacidade de planejamento e de solução de problemas, portanto, a participação dos adultos em estimular o desenvolvimento dessas habilidades é muito importante.

Para isso, além de motivar o uso da criatividade e imaginação, os pais podem participar no desenvolvimento dos filhos motivando-os a desenhar, compartilhar brinquedos e jogos com os amiguinhos, e conversando muito com os pequenos, pedindo que eles falem sobre o seu dia, seus coleguinhas e interesses. Outra ideia legal é a de motivar a criança a transformar as historinhas em teatrinho, onde ela interprete as ações das personagens.

De 4 a 5 anos

Com um vocabulário de mais de 2 mil palavras, as crianças dessas idades conseguem formar sentenças mais longas, se comunicar mais “como gente grande” e inclusive manter conversas com pessoas de fora de seu convívio. Além disso, elas gostam de brincar na companhia de outras crianças e é importante que continuem recebendo muitos estímulos para refinar suas habilidades socioemocionais e cognitivas.

Assim, é bacana desenvolver brincadeiras nas quais as crianças aprendam enquanto exploraram os sentidos, a criatividade, a imaginação e suas habilidades comportamentais, motoras e sociais. Aqui vale expor os pequenos a livrinhos de colorir, quebra-cabeças, brinquedos de montar e atividades que despertem sua curiosidade e interesse.

De 5 a 6 anos

Entre os 5 e 6 anos, as crianças normalmente já frequentam a escolinha, o que significa que é comum que suas brincadeiras se tornem mais complexas. Também é possível observar um maior uso da imaginação, da fantasia e da criatividade, e os pequenos começam a construir coisas ou estruturas imaginárias a partir da montagem de objetos ou brinquedos. Além disso, quando com outras crianças, é possível observá-los negociando jogos e participações e, por terem as habilidades socioemocionais mais desenvolvidas, eles preferem brincar acompanhados a sozinhos – embora ainda tenham um pouco de dificuldade para ceder e compartilhar.

O bom é que, nessa faixa etária, as crianças conseguem expressar melhor seus sentimentos e frustrações e a controlar seus impulsos. Ademais, ao se tornarem mais independentes, pacientes e abertas a negociações, é muito importante que os pais estabeleçam regras de comportamento e disciplina, e ajudem as crianças a entenderem quais são as suas responsabilidades e as consequências dos seus atos.

LEIA MAISO que fazer na hora de escolher a escola do seu filho?

Mas não devemos nos esquecer de que, nessa etapa, as crianças são crianças, e esse é um momento importante de os pais motivá-las a brincar, a mexer muito o corpo, a aproveitar o ar livre, se possível, e a realizar atividades físicas – de preferência em grupo, para que elas possam trabalhar cada vez mais suas habilidades sociais e aprendam conceitos como cooperação, negociação e empatia. E é importante que os pais sempre conversem com os filhos e mantenham um diálogo aberto para que eles se sintam apoiados e seguros para enfrentar esse mundão cheio de novidades e desafios. Você concorda? Então, não deixe de compartilhar este artigo!

Comunidade Alô Bebê
Alô Bebê
Alô Bebê Seguir

Redação - Alô Bebê

Ler matéria completa
Indicados para você